Serviços Conectados

Rádio

Followers

Link-me

Postagens populares

Publicidade

Tecnologia do Blogger.
I made this widget at MyFlashFetish.com.

Ele Quer te Seduzir!

Postado por Psicologa Fernanda Nascimento sexta-feira, 4 de maio de 2012

Fique atenta a seus charmes e sensualidades!
         Do que eles são capazes para atrair suas vítimas!

Eles adoram jogar charme, são bastante expressivos e encantadores,sua tática é manipular pessoas. São acostumados a usar suas vítimas como se fosses uma coisa qualquer, dai podemos perceber o quanto são frios e sem sentimentos. 
Sua ferramenta principal é a sedução, é necessário que a vítima se sinta atraída por ele, assim, ele tem como manipula-la e tornar sua presa amarrada em seus laços.




Sua maior arma é a mentira, ele sabe usá-la com tanta perfeição que é impossível alguém perceber que não fala a verdade, sabe olhar profundo e penetrante nos olhos e proferir suas mentiras, é um verdadeiro artista. Ele não tem medo de ser pego na mentira, não tem vergonha, e nem sente arrependimentos.

O Psicopata gosta de fantasiar sua circunstâncias reais, afinal sua personalidade é narcisista. Assim, ele tenta adaptar a realidade à sua imaginação, à seu personagem do momento, de acordo com a circunstância e com sua personalidade é narcisística. Esse indivíduo pode converter-se no personagem que sua imaginação cria como adequada para atuar no meio com sucesso, propondo a todos a sensação de que estão, de fato, em frente a um personagem verdadeiro.



Ele sente prazer quando ver suas vítimas sofrer, é capaz de ter orgasmos quando suas vítimas estão morrendo.



Não é difícil de perceber suas características Psicopatas 


   Desembaraço/charme superficial

 Sentimentos insuflados de importância pessoal

 Busca por estimulação/sensibilidade à monotonia

 Mentira patológica

 Manipulação e chantagem
 Ausência de remorso ou culpa
 Emoções superficiais
 Ausência de empatia com os outros
 Estilo de vida parasita
 Controles comportamentais precários
 Promiscuidade sexual
 Problemas graves de comportamento na infância
 Ausência de objetivos de longo prazo
 Impulsividade
 Irresponsabilidade
 Incapacidade de se responsabilizar por suas ações
 Casamentos/relacionamentos de curta duração
 Delinquência juvenil
 Violação de condicional
 Versatilidade criminal


  


Personalidade Psicopática

O psicopata é caracterizado por conduta anti-social crônica que começa na infância ou adolescência como Transtorno de Conduta. 



A psicopatologia em geral e a psiquiatria forense em especial têm dedicado, há tempo, uma enorme preocupação com o quadro conhecido por Psicopatia (ou Sociopatia, Transtorno Dissocial, Transtorno Sociopático, etc).
Trata-se de um terreno difícil e cauteloso, este que engloba as pessoas que não se enquadram nas doenças mentais já bem delineadas e com características bastante específicas, a despeito de se situarem à margem da normalidade psico-emocional ou, no mínimo, comportamental. As implicações forenses desses casos reivindicam da psiquiatria estudos exaustivos, notadamente sobre o grupo de entidades entendidas como Transtornos da Personalidade.
O enorme interesse que o psicopata tem despertado atualmente se deve, em parte, ao desenvolvimento das pesquisas sobre as bases neurobiológicas do funcionamento do cérebro em geral e, particularmente, da personalidade. Em outra parte, deve-se também ao enorme potencial de destrutividade de alguns psicopatas, quando ou se tiverem acesso aos instrumentos que a tecnologia e a ciência disponibilizam.
Estudar o potencial da destrutividade humana é bastante interessante e poderá esclarecer certos pontos em comum entre grandes manifestações de destrutividade, como são as guerras, os genocídios, torturas, o terrorismo e, talvez, manifestações incomuns da personalidade humana, baseadas na psicopatologia, na psicologia e nas neurociências.
Lorenz e outros etólogos consideram a agressividade organizada uma aquisição evolutiva que aparece na espécie humana há uns 40.000 anos. Em sentido social, a agressividade organizada nasceu da necessidade de uma arma de sobrevivência mais eficaz. Nascia assim uma forma especializada de agressão comunitária e organizada, um entusiasmo que agrega o grupo contra um inimigo comum.
Uma de suas expressões seria a “paranóia de guerra”, que afeta e afetou populações inteiras. Atualmente pode ser representada também por grupos étnicos, religiosos ou políticos que se unem através de uma conduta agressiva em função de alguma ameaça comum a todos integrantes do grupo (ameaça real ou acreditada).
Devido à falta de um consenso definitivo, esse assunto tem despertado um virulento combate de opiniões entre os mais diversos autores ao longo do tempo. Igualmente variadas também são as posturas diante desses casos que resvalam na ética e na psicopatologia simultaneamente. As dificuldades vão desde a conceituação do problema, até as questões psicopatológicas de diagnóstico e tratamento. Como seria de se esperar, também na área forense as discordâncias são contundentes.
A evolução dos conceitos sobre a Personalidade Psicopática transcorreu, durante mais de um século, oscilando entre a bipolaridade orgânica-psicológica, passando à transitar também sobre as tendências sociais e parece ter aportado, finalmente, numa idéia bio-psico-social que, senão a mais verdadeira, ao menos se mostrou a mais sensata (veja artigo Personalidade Criminosa, uma revisão das dúvidas sobre esse tema).
Historia do conceito
O conceito de Psicopata, Personalidade Psicopática e, mais recentemente, Sociopata é um tema que vem preocupando a psiquiatria, a justiça, a antropologia, a sociologia e a filosofia desde a antigüidade. Evidentemente essa preocupação contínua e perene existe porque sempre houve personalidades anormais como parte da população geral.

Psicopatas são pessoas cujo tipo de conduta chama fortemente a atenção e que não se podem qualificar de loucos nem de débeis; elas estão num campo intermediário. São indivíduos que se separam do grosso da população em termos de comportamento, conduta moral e ética. Vejamos a opinião dos vários autores sobre a Personalidade Psicopática ao longo da história.



Um comentário:

  1. Fernanda é muito interessante o teu artigo. fiquei com um dúvida, no último parágrafo falas em mostrar a "opinião dos vários autores (...)", isso significa que o artigo continua?

    Abraços!

    ResponderExcluir

Não só comente! Elabore uma grande critica ou opinião favorecedora!

Buscar

Translator

Hora

Psicologa

Psicologa
Sou Funcionária Pública Federal e Psicóloga Graduada na Faculdade CESMAC, especializada nas áreas Jurídica, Clínica e Escolar. Pós Graduada em Vigilância à Saúde, pela Universidade Federal de Alagoas- UFAL.
Psicologa online?
Estando verde, clique no ícone para contato com Fernanda!

Visualizações no Blog

Histórico

Observação

Para todos visitantes e membros quero logo avisar que as minhas opiniões estão em vermelho em todas as postagens!

Ops: E para terem uma melhor leitura das postagens cliquem no "Continue lendo" dessas postagens e todo conteúdo será esboçado!

Descubra o que se passa em:

http://www.bispomacedo.com.br

Agregador

LinkLog
Agradeço ao LinkLog pelo grande tráfego de visualizações que me tem concedido!
Ocorreu um erro neste gadget
Fique sempre atualizado!
Cadastre-se e receba nossas novidades em seu e-mail.
Widget by MundoBlogger Instale este widget
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...